nuvens
em

Mãe e filho adoram tomar banho juntos

Eu confesso a vocês algo que aconteceu comigo há algum tempo atrás. Meu nome é Marisa, tenho 37 anos de idade, sou loira natural de olhos verdes, meço 1,67 metros e peso 59 quilos. Sou viúva e tive um garoto desse relacionamento que se chama Rafael. Eu e meu falecido marido Júlio não nos dávamos muito bem, acho que todo o amor que não sentia por ele eu tinha pelo Rafa.
Eu e o Rafa éramos muito ligados desde que ele nasceu, cuidava muito dele, dava muito atenção e sempre querendo saber tudo o que ele fazia. Toda vez para ele tomar banho eu tinha que ir também, isso era desde que ele era pequeno e acabo virando uma rotina.
No banho a gente conversava bastante, eu sempre lavava as costas dele e ele as minhas, mas sem segundas intensões, pois somos mãe e filho, apesar de eu ter bunda, coxas e peitos bem volumosos e branquinhos igual leite, vou confessar não sou muito magrinha, mas é tudo bem definido.
Enfim, conforme o tempo passa, algumas coisas mudam Rafa começava a ter mudanças nos seus hormônios e em seu tamanho também e que tamanho (risos).
A gente continuava a tomar banho todos os dias junto, tinha percebido que seu piu-piu não era mais um piu-piu, como costumava chamar. Percebi também que ele olhava mais para o meu corpo meio que disfarçado e logo desviava o olhar e também começou a encostar mais em mim, como se fosse sem querer.
Acreditei que pela sua idade algumas curiosidades começavam a surgir, num certo dia no banho ele olhou para mim e falou.
– Mãe posso aproveitar quando for lavar suas costas e lavar sua bunda também.
Questionei o porquê disso, ele respondeu.
– Ah mãe, só quero ajudar à senhora assim você tem menos trabalho.
Acabei cedendo, ele começou a passar a esponja nas minhas costas e foi descendo quando ele chegou ao meu bumbum, deixava cair os dedos fora da esponja só para sentir minhas nádegas e eu empinei bem a bunda só para ver a sua reação.
Quando ele acabou de esfregar minha bunda, se virou de costas e ficou o banho inteiro de costas para mim, quando fomos nos secar pude ver que seu pinto estava todo ereto e media uns 18 centímetros no mínimo.
Fui dormir e aquela imagem do seu pênis juvenil, branquinho, todo crescido e com a cabeçona toda vermelha para fora não saia da minha cabeça, aquilo me deixou muito excitada, saber que meu filho me desejava e já fazia mais ou menos dois anos que não via um pinto ereto e grande tão perto de mim.
Na próxima vez que fomos tomar banho resolvi ser mais ousada com o Rafa, falei para ele.
– Ai filho a mamãe está muito cansada hoje, você não poderia lavar minhas pernas também, mas, por favor, filho sem esponja porque ela está me causando alergia, passa só o sabonete liquido mesmo, você acha que consegue?
Ele falou meio que gaguejando.
– Sim mamãe, pode deixar eu lavo.
Rafa pegou o sabonete liquido, encheu a sua mão e começou a me ensaboar as costas. Ele só ensaboava as costas, acho que o deixei meio constrangido.
– Já pode começar a lavar minhas pernas filho.
Ele começou a passar as mãos suavemente nas minhas pernas grossas, notei que estava meio tenso, falei.
– O bumbum também Rafa.
Ele subiu e começou a ensaboar, ui que delicia ele passando suas mãos na minha bundona, notei que ele estava mais solto e até deu umas apertadinha.
– Está bom filho, muito obrigado.
Dei um beijo em seu rosto, quando olho para baixo ele estava com aquele mastro todo de pé, cheguei da uma suspirada.
– O que é isso Rafa?
– Desculpa mãe.
– Desculpar o que bebê? É normal acontecer isso com os homens, só não junto com a mãe. Você ficou excitado por minha causa?
– Sim mamãe, nunca tinha sentido uma mulher até hoje.
– Bom filho está tudo bem, acho melhor eu deixar você sozinho para você se aliviar.
– Se aliviar, mas como mãe?
– Óra filho, se masturbar, isso é normal, não tenha vergonha de fala que você se masturba.
Acabei percebendo que o Rafa, ainda não sabia o que era isso, pela cara que ele fez de como se eu estivesse falando grego. Ele era bem tímido e não tinha muitos amigos, os que ele tinha eram todos nerds, ficavam o dia inteiro na frente do computador jogando.
– O que é isso mãe?
– Não sei como explicar filho, você já deveria saber disso, até pensei que sabia.
– Então mostra pra mim mãe, essa é a forma mais fácil de eu saber.
– Mas não pode filho, eu sou sua mãe.
– Ah mãe, assim eu nunca vou saber como faz, vou sempre estar de pinto duro no banho com você, sem poder me aliviar depois. Ensina mamãe, por favor, eu não falo nada pra ninguém e é só para eu aprender mesmo, vai mãe.
Fiquei muito constrangida com aquela situação, porem muito excitada vendo aquele pau enorme na minha frente, sabendo que poderia sentir ele inteiro na palma da minha mão e Rafa fez uma carinha de inocente que me deu muito pena dele, resolvi ajudar ele.
– Bem filho, vou ajudar você, mas que fique bem claro que essa vai ser a primeira e ultima vez, é só para você aprender como se faz e prometa não contar isso para ninguém, está bem?
– Tudo bem mãe, eu prometo que não falarei para ninguém.
Fui por trás dele, encostei suavemente o meu corpo no corpo do Rafa, quando encostei meus peitos que já estavam durinhos nas costas dele ele chegou tremer.
Olhei bem para o seu mastro, estava enorme, percebi que não me sentia mais como mãe. Coloquei bastante sabonete liquido na palma da mão direita, pensei duas vezes se ia fazer mesmo aquilo.
Porém, o desejo era maior que tudo, peguei seu mastro que chegava estar latejando, cheguei virar os olhos de tesão, já estava toda molhadinha, minha vontade mesmo era de sentar em cima do meu filho e engolir sua vara todinha até sentir suas batatas, mas me controlei.
Comecei a fazer movimentos bem gostosos só em cima da sua cabecinha. Estávamos imóveis e mudos à única coisa que se escutava era os gemidos abafados de prazer do meu Rafa.
Resolvi me soltar mais, com a mão esquerda comecei a acariciar suas batatas delicadamente. Peguei bem firme no seu pau e comecei a fazer movimentos longos e lentos de vai e vem no seu enorme cacete que já estava todo melado, fui aumentado a velocidade e o Rafa aumentando os gemidos ficamos assim uns dez minutos, até Rafa começar a tremer todo.
Bom nem precisa comenta o que aconteceu, ele lavo toda a parede do box e minha mão com sua porra quente e juvenil, apesar da idade gozou que nem um touro acho que ejaculou por uns 15 segundos sem parar. Ai que delicia ver aquilo queria mesmo era tomar toda aquela porra branquinha e quentinha que tinha saído do meu filho.
– Desculpa mãe, desculpa.
– Isso é normal filho, gosto da masturbação que a mamãe te fez?
– Adorei, foi a melhor sensação que tive em toda a minha vida.
– Que bom filho, agora você aprendeu a se masturbar, limpa isso ai que vou ir para o meu quarto dormir.
Consegui lamber os dedos sem que ele vise, nossa que porra deliciosa. Male mau me sequei e fui para o meu quarto correndo, toda molhadinha cheia de tesão, peguei meu vibrador e sentei a noite inteira nele, acredito que gozei umas onze vezes, dando gemidinhos abafados para meu filho não ouvir.
Esse foi o primeiro contato sexual entre eu e meu filho e não postei fotos porque não gosto de me exibir muito. No próximo conto, falo para vocês o que acabou acontecendo no outro banho que eu e o Rafa tomamos junto e que banho gostoso em (risos). Beijinhos até. Continua…

Reportar

O que você acha?

Escrito por Anônimo

Deixe uma resposta

nuvens

quero trabalhar mas nao sei em que?

nuvens
Conteúdo 18+
Clique para ver esta postagem

Minha Sogra me provoca demais…